Educação Básica

Políticas Públicas para Educação Básica

 

Difícil pensar no sistema educacional atual sem as políticas públicas e sociais elaboradas para este direito básico da sociedade, a educação. Recordando do percurso histórico destas políticas que já passaram por muitas reestruturações desde a criação do Ministério da Educação em 1930.

Em 1932, o educador Fernando de Azevedo redigiu o primeiro Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova e este foi assinado por outros conceituados educadores, como Anísio Teixeira,Cecília Meireles, Lourenço Filho, Amanda Álvaro Alberto, entre outros. Um dos principais pontos de reivindicação apontava para a necessidade de uma escola única, pública, laica, obrigatória e gratuita.  Então, em 1934 a educação passa a ser direito de todos, como regi a nova constituição vigente a partir daquele ano. Em 1962 foi regulamentada a primeira Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) (Lei 4024/ 1961), garantindo a inclusão da educação infantil (creches e pré-escola), e a formação adequada dos profissionais da educação básica. Os anos seguintes outras medidas também delinearam ensino superior com a LDB Lei 5.540 de 1968, perduraram até 1995/1996.

 Entre a década de 60 e 80, a educação também sofreu com o golpe militar, poucas medidas de melhoramento foram endossadas nesse período. Na década de 90 foi sancionada a nova LDB Lei 9394/96. Em 2007 aconteceu o lançamento do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), aonde o Ministério da Educação e Cultura (MEC) vem reforçar uma visão sistêmica da educação.[i]Transformações políticas e históricas que influenciam a sociedade como um todo.

A psicologia também acompanhou e fez parte do processo de mudança e avanço na educação, fez mais forte o coro com o projeto de Lei 3688/2000, que trata da inserção de assistentes sociais e psicólogos nas escolas públicas de educação básica, trazendo nele também o intuito de um trabalho multidisciplinar, para o crescimento de todos os envolvidos, as Psicólogas (os), Assistes Sociais e a Escola, principalmente. A lei foi aprovada no dia 10 de julho de 2013.

A psicologia escolar e educacional:Olhos atentos ao País

            Com o olhar crítico e reflexivo a psicologia se propõe a pensar a educação. Pautando questões e novos parâmetros para a atuação do profissional na escola, o que já carrega em si sua grande importância histórica e social. A necessidade de uma atuação ética e comprometida com a realidade social, o desejo de emancipação tem com influência principal, considerando marcos lógicos internacionais, a Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948), em seu artigo 18; como a Convenção Sobre os Direitos da Criança, como marco legal nacional, a Constituição Federal (1988); e posteriormente o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8069/90), entre outros documentos de referencia, que fazem o corpo de toda mudança história e social. A psicologia educacional incorpora essas mudanças e acrescenta o seu desejo de fazer parte dessa história de luta pela educação.

            A década de 80 foi especialmente importante para a psicologia educacional e escolar, pois ela foi atravessada por um pensamento crítico que tencionou questionamentos, transformando a crítica em mudança de paradigma, separando a psicologia que usava de instrumentos para classificação, em um instrumento de crítica social, que questionava[ii]a maneira que dificuldades sociais eram direcionadas como problemas pessoais de alunos (Pato, 1984). Deste novo olhar sobre a educação surgiu um conjunto de questionamentos[iii], que resultaram em muitas pesquisas e mudanças, que casavam bem como que acontecia no país que lutava pela redemocratização.

De certo que o papel do psicólogo na escola foi e é, em muitas ocasiões questionas e respondidas de diferentes maneiras, as pesquisa feitas com profissionais que estão na área de educação, mostram que não há um consenso das atividades e atribuições lineares, portanto, a área da psicologia educacional e escolar encontra-se em construção, e como tudo que é bom, está em melhoramento. Essas pesquisas que mostram as características de tais profissionais podem ser acessadas nos arquivos do Conselho Regional de Psicologia CRP, especialmente no Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas CREPOP.

Nesse espaço virtual encontramos o documento de referência para a Educação Básica, que pode ser acessada no aqui. As pesquisas a cima citadas são apresentadas, e, além disso, capítulos especiais tratando como deve ser a participação do psicólogo na escola, a presença em grupo de trabalho com outros profissionais, com alunos e comunidade. O conhecimento do Projeto Político-Pedagógico (PPP) da escola, e para além do conhecimento, a colaboração na construção deste que é um importante documento que emoldura a escola. Um segundo ponto ressaltado é a intervenção da (o) psicóloga (o) no processo de ensino-aprendizagem, não mais com o viés higienista de outrora, mas com o olhar histórico social, que crítica à sociedade em que está inserida nesse espaço de aprendizagem e seus atores, dessa forma, buscando não mais culpabilizar o aluno, mas ver de que maneira esse pode transpor quaisquer dificuldades.

O trabalho com educadores vem dentro da possibilidade de criar juntos este espaço social, que é a escola, agregando conhecimento para o empoderamento. Com a educação inclusiva, um importante questionamento é “como a (o) psicóloga (o) pode auxiliar no processo de inclusão escolar rompendo com as práticas excludentes”?  Como contribuir para esse novo espaço, que necessita da participação ativa do professor, da família e dos demais alunos e membros da escola. O quinto ponto possibilidade de atividade da (o) psicóloga (o) é o trabalho com grupo de alunos, onde sobressaem possibilidades para esses que estão com os sonhos e sentimentos a flor da pele, curiosos e cheios de dúvidas quanto a vida e futuro. Esses documentos de referência tem um importante papel na construção, não só da atividade, mas na formação de novos rumos para a psicologia escola. Vemos as possibilidades, demarcadas e baseadas em pesquisa e experiências que vem sendo acrescidas nas ultimas três décadas.

Atualmente a área da psicologia escolar e educacional é fortalecida pelas pesquisas e experiências compartilhadas. Tendo como característica o afastamento cada vez mais do velho estigma de normatização e controle. Renovando-se no campo de atuação e questionamentos a cerca da posição do psicólogo na educação e na sociedade, não só como profissional, mas como cidadão atuante na criação de políticas públicas, leis e formas de atuação que venham a colaborar com a sociedade, sabendo que a educação somente, não é um instrumento de transformação, mas com a formação da consciência coletiva que atravessa todos os setores sociais.



[i] Portal MEC-Texto: Institucional: O MEC.

[ii] Conheça mais da história na Cartilha de Referência

Técnica na atuação de Psicólogas (os) na Educação Básica

[iii] a) do papel social da Psicologia como Ciência e Profissão

E da Psicologia no campo educacional; b) dos pressupostos.

Que norteavam a construção do conhecimento nesta área, bem.

Como suas finalidades em relação à escola e àqueles que dela

Participam.

—————————————————————————————–

– Minuta CREPOP – 

Pesquisa com Psicólogas(os) que atuam na Educação Básica (Bahia e Sergipe)

 

 A pesquisa com psicólogas(os) que atuam na Educação Básica ocorreu entre janeiro e abril de 2009. As informações aqui apresentadas se baseiam nos dados coletados durante o Georreferenciamento e nas etapas presenciais (Reunião Específica e Grupo Fechado[1]). A seguir apresentamos um quadro geral com o número de psicólogas(os) presentes em cada encontro:

Encontro Presencial Bahia

Sergipe

Reunião Específica

06

06

Grupo Fechado

07

06

 ***

 a)Rede de Referência –  a maior parte dos profissionais de psicologia que atuavam na Educação se encontravam na área da Educação Inclusiva. Por conta disso, durante o georreferenciamento da Educação Básica buscamos localizar psicólogas(os), mas também professoras(es) com formação em Psicologia. Esta estratégia foi fundamental para localização de diversos profissionais que estavam em desvio de função – contratadas(os) como professoras(es) e atuando como psicólogas(os) ou atuam em cargos burocráticos[2]. Para realização do georreferenciamento fizemos contato com as DIREC(Bahia) e DRE(Sergipe)[3], bem como com escolas da rede municipal de Salvador[4]. No saldo final, foram encontrados 21 psicólogas(os) em Sergipe e 26 na Bahia. Conforme indicavam os números, a presença de psicólogas(os) na rede de educação básica era ainda incipiente e limitada. Na avaliação dos profissionais participantes da pesquisa a rede de referência da educação básica estava em processo de construção, sendo necessárias articulações e parcerias com outras políticas públicas, sobretudo a Saúde e Assistência Social.

  b)Dificuldades dos serviços/ Condições de Trabalho:

c)Atividades Específicas/Tecnologias de Intervenção/ Recurso Técnicos: durante o encontro existiram diversos debates sobre o papel da(o) psicóloga(o) na educação básica. Entre aquelas(es) que atuavam como psicólogas(os) observamos que as atividades eram mais voltadas para o atendimento individual (acolhimento/psicodiagnóstico) e facilitação de grupal e oficinas/mediação de conflitos. Segue abaixo as informações trazidas pelas(os) profissionais:

 Atividades individualizadas:

           Atividades grupais:

 Atividades vinculadas ao contexto escolar/educacional:


            Recursos Técnicos:

d) Teorias/ Conceitos/ Áreas de Conhecimento: 

TEORIAS: Psicologia Social; Psicologia Histórico-Cultural; Sócio-interacionista; Gestalt; Psicodrama; Psicodrama pedagógico; Biossíntese; Construtivismo; Cognitivismo; Cognitivo-comportamental; Psicanálise; Sistêmica; Psicologia de Grupo de Pichon; Esquizoanálise, Ludoterapia; Psicoterapia breve.

 

CONCEITOS: Grupo operativo; Zona de desenvolvimento proximal; Família e contexto escolar.

 

AUTORES: Piaget; Wallon; Vygotsky; Sara Paim; Freud; Leonardo Boff (Saber cuidar); Maria Luiza Weis; Maria Helena de Souza Patto; Foucault; Hannah Arendt; Jorge Larrosa; Julio Groppa Aquino; Sônia Ap. M. França; Sonia Maria R. Sampaio.


e)Considerações Finais:

Muitas(os) psicólogas(os) da Bahia e de Sergipe estavam em desvio de função. Este quadro, associado às baixas remunerações oferecidas nesta área, tem prejudicado a motivação de uma parcela significativa destes profissionais. Esta situação não é específica de BA/SE, visto que os dados do Relatório Quantitativo Nacional indicaram um quadro semelhante[6]:

(Fonte: Relatório Quantitativo Nacional do CREPOP)

As(os) profissionais destacaram a necessidade de discussão e encaminhamentos locais em relação à ausência de Legislações Estaduais que contemplem o cargo de psicóloga(o) na educação. Porém, não foram identificadas formas de organização coletiva fora do âmbito institucional dos locais de trabalho destas(es) profissionais, sendo nítida a necessidade de mais espaços para troca de experiências, bem para organização da categoria.

 

Equipe CREPOP03 – BA/SE

Centro de Referência Técnica em Psicologia
e Políticas Públicas – CRP- 03


[1] O Georreferenciamento consiste na localização dos profissionais de psicologia na política pública em questão.  A etapa presencial de Sergipe ocorreu no dia 17 de abril e da Bahia em 24 de abril de 2009.

Estes dois encontros possuem objetivos distintos: na Reunião Específica investigamos o Campo da Prática; no Grupo Fechado discutimos o Núcleo da Prática- este conceito versa sobre aspectos ligados às Atividades Especificas, Teorias e Conceitos etc.

[2] Uma parcela significativa das(os) psicólogas(os) de Sergipe foram contratadas(os) num concurso realizado em 1997 para o cargo de professora(or) de psicologia, mas  encontravam-se em cargos burocráticos no interior das secretarias de educação. Já na Bahia diversos profissionais que atuavam como professoras(es) e fizeram uma formação em psicologia passaram a ser demandados pelas instituições para atuar como psicólogas(os). Em alguns casos estas(es) profissionais foram chamados a atuar na gestão recebendo demanda de todas as escolas da rede – encontramos situações em que uma(um) profissional era responsável por mais de 100 unidades escolares.

[3] DIREC e DRE são as siglas das Diretorias Regionais de Educação da Bahia e Sergipe.  Estas diretorias são vinculadas às Secretarias Estaduais de Educação e são responsáveis por determinados territórios e pelos municípios que ali se encontram.

[4] Em Sergipe, o recorte populacional utilizado foi 25 mil habitantes e na Bahia 100 mil. Em relação às escolas municipais de Salvador, recebemos uma listagem com 417 escolas e fizemos contato com 102 destas (consideramos as escolas com mais de 500 estudantes).

[5] Nos dois Estados investigados a equipe CREPOP identificou situações de desvio de função: no caso de Sergipe a maior parte das(os) psicólogas(os) foi contratada como professoras(es), mas trabalhava em atividades burocráticas; já na Bahia a maioria era contratada como professora(or) e atuava como psicóloga(o). Este quadro parece ocorrer pela ausência de Legislações Estaduais que contemplem o cargo de psicóloga(o) na educação. Além desta situação, foi possível perceber que não são realizados concursos públicos nesta área há mais de 10 anos. Tais problemáticas, associadas às baixas remunerações parecem ter impactos sobre a qualidade dos serviços oferecidos e motivação das(os) profissionais.

[6] O Relatório Quantitativo Nacional foi respondido por  299 psicólogos em todo o país e por 15 de BA/SE. Para obter maiores informações entre no site: crepop.pol.org.br, no link: Resultados das Pesquisas.

MARCOS LÓGICOS E LEGAIS

Legislação Educação Básica

Marcos Lógicos

PUBLICAÇÃO
EMENTA
ANO

Convenção sobre os Direitos da Criança

Art. 18 – Aos estados e aos pais, cabem responsabilidades para educação das crianças.

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Preâmbulo da Declaração apresenta o Ensino e Educação como forma de promoção dos Direitos Humanos.

1948

Convenção Internacional relativa à luta contra a Discriminação no Campo do Ensino

Propõe a instituir a colaboração entre as nações para assegurar a todos o respeito universal dos direitos do homem e oportunidades igual de educação.

1960

Recomendações relativas à Condição Docente

Reconhecendo o papel fundamental dos docentes no processo educativo, a importância de sua contribuição no desenvolvimento da personalidade humana e da sociedade moderna; Busca assegurar aos docentes uma condição compatível com esse papel.

1966

Declaração Mundial sobre Educação para Todos – Declaração de Jomtien.

Aprovada pela Conferência Mundial sobre Educação para Todos em Jomtien, Tailândia - 5 a 9 de março de 1990, com o objetivo de satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem.

1990

Declaração de Nova Delhi sobre Educação para Todos

Declaração produzida durante encontro dos nove países mais populosos do mundo (incluindo Brasil) que reiteram o compromisso de buscar as metas definidas pela Conferência Mundial sobre Educação para Todos e pela Cúpula Mundial da Criança (1990) visando tor4nar a educação básica universal.

1993

Declaração de Hamburgo sobre Educação de Adultos

Princípios norteadores da Educação de Adultos para cidadania e participação social.

1997

Plano de Ação da Declaração de Santiago

Constitui um conjunto de iniciativas concretas destinadas a promover o pleno desenvolvimento dos países do Hemisfério e a assegurar o acesso e a melhorar a qualidade da educação, a promover e a fortalecer a democracia e o respeito aos direitos humanos, a aprofundar a integração econômica e o livre comércio, e a erradicar a pobreza e a discriminação.

1998

Compromisso de Educação para Todos - Dacar

Documento de compromissos assumidos pelos países membros da UNESCO para alcançar metas e objetivos de Educação Para Todos.

2000

Plano Nacional de Educação

Documento referência, que contempla dimensões e problemas sociais, culturais, políticos e educacionais brasileiros.

2001

Declaração de Cochabamba - Educação para Todos

Declaração aprovada durante a VII Sessão do Comitê Intergovernamental Regional do Projeto Principal para
a Educação(PROMEDLAC VII), compromissos dos países da América Latina e Caribe.

2001

Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos/ UNESCO

Resultado do trabalho do Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos, instituído pela Portaria 66 de 12 de maio de 2003, da Secretaria Especial dos Direitos Humanos – SEDH, que reúne especialistas da área.

2006

Política Nacional de Educação Infantil

Preconiza construção coletiva de Política de Educação Infantil.

2006

Parecer CNE/CEB nº 20

Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (DCNEI).

2009

Marcos Legais

PUBLICAÇÃO
EMENTA
ANO

Constituição Federal

Constituição de República Federativa do Brasil

1988

Lei nº 8.069

Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências.

1990

Decreto nº 99.710

Promulga a Convenção sobre os Direitos da Criança.

1990

Lei nº 9.394

Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

1996

Lei nº 9.394

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN).

1996

Projeto de Lei 3.688

Dispõe sobre a prestação de serviços de psicologia e de assistência social nas escolas públicas de educação básica.

2000

Lei nº 10.172

Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências.

2001

Lei nº 11.494

Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB.

2007

Emenda Constitucional nº 59

Acrescenta § 3º ao art. 76 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias para reduzir, anualmente, a partir do exercício de 2009, o percentual da Desvinculação das Receitas da União incidente sobre os recursos destinados à manutenção e desenvolvimento do ensino de que trata o art. 212 da Constituição Federal, dá nova redação aos incisos I e VII do art. 208, de forma a prever a obrigatoriedade do ensino de quatro a dezessete anos e ampliar a abrangência dos programas suplementares para todas as etapas da educação básica, e dá nova redação ao § 4º do art. 211 e ao § 3º do art. 212 e ao caput do art. 214, com a inserção neste dispositivo de inciso VI.

2009

Lei nº 12.796

Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências.

2013

LEI Nº 13.005

Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências.

2014

Resoluções

PUBLICAÇÃO
EMENTA
ANO

Resolução CNE/CP Nº 01

Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena.

2002

Resolução CNE/CEB nº 5

Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil.

2009

Resolução CNE/CEB nº 4

Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica.

2010

DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

PUBLICAÇÃO
ORIGEM
EMENTA
ANO

Adolescência e Psicologia. Concepções, Práticas e Reflexões Críticas

Conselho Federal de Psicologia

O Conselho Federal de Psicologia, a convite do Ministério da Saúde, dedicou-se à elaboração desta cartilha, visando à atualização dos psicólogos que trabalham com a população adolescente no Brasil. Aceitamos esse convite por considerarmos de fundamental importância contribuir para uma atuação profissional cada vez mais qualificada e comprometida com as transformações sociais necessárias ao país.

2002

Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil (Volume 1)

Ministério da Educação

Contém referências de qualidade para a Educação Infantil a serem utilizadas pelos sistemas educacionais, que promovam a igualdade de oportunidades educacionais e levem em conta diferenças, diversidades e desigualdades do nosso imenso território e das muitas culturas nele existentes.

2006

Parâmetros Nacionais de Qualidade para a Educação Infantil (Volume 2)

Ministério da Educação

Contém referências de qualidade para a Educação Infantil a serem utilizadas pelos sistemas educacionais, que promovam a igualdade de oportunidades educacionais e levem em conta diferenças, diversidades e desigualdades do nosso imenso território e das muitas culturas nele existentes.

2006

Ano da Psicologia na Educação – Textos Geradores

Conselho Federal de Psicologia

A psicologia está presente na educação de diversas formas, seja como disciplina ou como conteúdo de disciplinas, sendo inspiradora de propostas de formação humana, bem como área de aplicação. Há, portanto, saberes e práticas psicológicas que têm sido relevantes para a formação dos seres humanos mediante as suas necessidades que emergem nos diferentes espaços educacionais.

2008

Política de Educação Infantil no Brasil: Relatório de Avaliação

Ministério da Educação

Esta publicação é composta de três partes. A primeira contém a tradução, na íntegra, do Relatório de Avaliação da Política de Cuidado e Educação da Primeira Infância no Brasil, aprovado pelo MEC em agosto de 2006; a segunda traz os textos que subsidiaram o estudo, elaborados pelos especialistas brasileiros contratados pelo projeto. A terceira, um breve capítulo de atualização de informações, incluindo aspectos das políticas públicas e dados sobre a oferta de serviços.

2009

Indicadores da Qualidade na Educação Infantil

Ministério da Educação

A publicação Indicadores da Qualidade na Educação Infantil caracteriza-se como um instrumento de autoavaliação da qualidade das instituições de educação infantil, por meio de um processo participativo e aberto a toda a comunidade.

2009

Critérios para um Atendimento em Creches que Respeite os Direitos Fundamentais das Crianças

Ministério da Educação

Este documento compõe-se de duas partes. A primeira contém critérios relativos à organização e ao funcionamento interno das creches, que dizem respeito principalmente as práticas concretas adotadas no trabalho direto com as crianças. A segunda explicita critérios relativos à definição de diretrizes e normas políticas, programas e sistemas de financiamento de creches, tanto governamentais como não governamentais.

2009

Orientações sobre convênios entre secretarias municipais de educação e instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos para a oferta de educação infantil

Ministério da Educação

Pretende-se, com esta publicação – fruto de um esforço coletivo – orientar as secretarias e os conselhos de Educação, ressaltando tratar-se única e exclusivamente desta forma de repasse de recursos, não havendo o propósito de abordar outras questões ou formas de parceria público-privado.

2009

Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil

Ministério da Educação

Esta publicação busca contribuir para disseminação das Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil.

2010

Deixa eu falar!

Ministério da Educação

O Ministério da Educação – MEC, por intermédio da Secretaria de Educação Básica, na condição de membro da Rede Nacional Primeira Infância – RNPI, ao divulgar esta publicação, pretende contribuir com os estabelecimentos de educação infantil no sentido de incentivar novas práticas educativas comprometidas com os direitos da criança, e que busquem articular suas experiências e saberes com o conhecimento cultural, artístico, ambiental, científico e tecnológico, de modo a promover o seu desenvolvimento integral.
Esta publicação é de uso coletivo e tem como principal objetivo estimular e favorecer o importante e necessário diálogo com as crianças.

2011

Brinquedos e Brincadeiras

Ministério da Educação

Trata-se de um documento técnico com a finalidade de orientar professoras, educadoras e gestores na seleção, organização e uso de brinquedos, materiais e brincadeiras para creches, apontando formas de organizar espaço, tipos de atividades, conteúdos, diversidade de materiais que no conjunto constroem valores para uma educação infantil de qualidade.

2012

Educação Infantil e Práticas Promotoras de Igualdade Racial

Ministério da Educação

Este material resulta de intervenções em situações reais, na quais todos os sujeitos envolvidos, equipe gestora, professores e especialistas puderam refletir, cada qual em seu campo de atuação, sobre como as práticas pedagógicas na Educação Infantil podem promover a igualdade racial. Esse processo resultou em momentos de revisão de muitas atividades, da organização do tempo e de espaço e também das ações de gestão.

2012

Educação Infantil: Subsídios para Construção de uma Sistemática de Avaliação

Ministério da Educação

Este documento sintetiza a produção do Grupo de Trabalho (GT) de Avaliação da Educação Infantil instituído pela Portaria Ministerial nº 1.147/2011 (Anexos 1 e 2), que teve como atribuições propor diretrizes e metodologias de avaliação na e da Educação Infantil, analisar diversas experiências, estratégias e instrumentos de avaliação da Educação Infantil e definir cursos de formação sobre avaliação na educação infantil para compor a oferta da Rede Nacional de Formação Continuada de Professores. O Grupo foi coordenado pela Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação (MEC).

2012

Subsídios para a campanha Não à Medicalização da Vida – Medicalização da Educação

Conselho Federal de Psicologia

Documento com subsídios teóricos para a campanha do o Conselho Federal de Psicologia: "Não à Medicalização da Vida".

2012

Dúvidas mais frequentes em relação à educação infantil

Ministério da Educação

Esta publicação tem como principal objetivo esclarecer algumas questões relativas à educação infantil.

2013

Referências Técnicas para a Atuação de Psicólogas(os) na

Conselho Federal de Psicologia / Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas

Estas orientações refletem o processo de diálogo que os conselhos vêm construindo com a categoria, no sentido de se legitimar como instância reguladora do exercício profissional. Por meios cada vez mais democráticos, esse diálogo tem se pautado por uma política de reconhecimento mútuo entre os profissionais e pela construção coletiva de uma plataforma profissional que seja também ética e política.

2013

Relação das DIRECs do Interior da Bahia

Ministério Público do Estado da Bahia

0

MAPEAMENTO DE REDE DE SERVIÇOS

Não existem mapeamentos cadastrados nesta cartilha até o momento.

INDICAÇÕES

FILMES

TÍTULO
DIREÇÃO
PRODUÇÃO
DESCRIÇÃO

O enigma de Kaspar Hauser

Werner Herzog

Versátil Alemanha

Kaspar Hauser é um jovem que foi trancado a vida inteira num cativeiro, desconhecendo toda a existência exterior. Quando ele é solto nas ruas sem motivo aparente, a sociedade se organiza para ajudar Kaspar, que sequer conseguia falar ou andar, mas este logo acaba se tornando uma atração popular. Baseado em uma história real.

A educação proibida

German Doin

O longa-metragem argentino, produzido de forma independente e disponível gratuitamente na Internet, mostra 45 experiências de ensino não convencionais. A ideia é incentivar que se repense as metodologias, valorize a diversidade educativa, a liberdade pedagógica e curricular.

A Onda

Dennis Gansel

Moviemobz

O filme alemão conta a história de um professor do Ensino Médio que, ao assumir um curso sobre autocracia, decide proporcionar uma experiência prática que explique os mecanismo de fascismo e poder. No decorrer do enredo, o longa-metragem aborda o contexto de uma juventude desmotivada e descrente em um futuro diferenciado.

Ao Mestre, com Carinho

James Clavell

James Clavell

Ao Mestre com Carinho é o mais conhecido e cultuado filme do gênero. No meio dos anos 60, um professor negro (Sidney Poitier) inicia na carreira lecionando para uma turma de adolescentes rebeldes – e por vezes racistas – numa escola pública da periferia de Londres. Com seu jeito ora autoritário ora paternal, ele conquista aos poucos o respeito e a admiração da turma.

Aprenda em Liberdade - Um documentário sobre Desescolarização

Aprenda em Liberdade é um documentário sobre "unschooling" (em português, desescolarização), filosofia educacional que afirma que as crianças aprendem melhor não frequentando a escola tradicional, mas vivendo de acordo com os seus próprios interesses.

Corrida para Lugar Nenhum

Vicki Abeles Jessica Congdon

Reel Link Films

Documentário mostra como a pressão da escola e da família para que os jovens sejam bem-sucedidos traz traumas psicológicos irreversíveis. O filme faz uma crítica à cultura da competitividade e da alta performance vigente na educação dos Estados Unidos.

Edukators - Os Edukadores

Hans Weingartner

Video Filmes

"Edukators - Os Edukadores" fala das revoluções sociais de uma forma absolutamente original, colocando todos os lados em questão em uma mesma mesa. O filme fala de injustiça, companheirismo, triângulo amoroso, questionamentos filosóficos e sequestro. Tudo isso com um final surpreendente!

Entre os Muros da Escola

Lauret Cantet

Haut et Court, Canal+, Centre National de la Cinématographie, France 2 Cinéma e Memento Films Production

O filme francês expõe o choque cultural e social dentro de uma sala de aula, entre professor e alunos que vivem em constante conflito. Como sustentar um projeto pedagógico quando os estudantes não demonstram disposição e interesse é o foco da questão.

Escritores da liberdade

Richard LaGravenese

Paramount Pictures

Em um contexto social problemático e violento, uma jovem professora que trabalha em um bairro periférico nos Estados Unidos ensina seus alunos valores de tolerância e disciplina, promovendo uma reforma educacional na comunidade.

Esperando pelo Super-Homem

Davis Guggenheim

Electric Kinney Films; Participant Media; Walden Media

A crise da educação pública nos Estados Unidos é o tema central do documentário, que apresenta ainda a busca incessante dos educadores por uma saída dentro de um sistema problemático.

Filhos do Paraíso

Majid Majidi

The Institute for the Intellectual Development of Children & Young Adults

Ali (Amir Farrokh Hashemian) é um menino de 9 anos proveniente de uma família humilde e que vive com seus pais e sua irmã, Zahra (Bahare Seddiqi). Um dia ele perde o único par de sapatos da irmã e, tentando evitar a bronca dos pais, passa a dividir seu próprio par de sapatos com ela, com ambos revezando-o. Enquanto isso, Ali treina para obter uma boa colocação em uma corrida que será realizada, pois precisa da quantia dada como prêmio para comprar um novo par de sapatos para a irmã.

Joana e os Tempos da Escola

Relato de uma jovem que sofreu preconceito por ter opiniões diferentes, vestir-se de forma pouco convencional e ter gostos e desejos diferentes da maioria dos colegas de classe. Joana Troell conta a sua história e mostra como conseguiu vencer a dificuldade de ser diferente dos outros jovens.

Machuca

Andrés Wood

Video Filmes

Chile, 1973. Gonzalo Infante (Matías Quer) e
Pedro Machuca (Ariel Mateluna) são dois garotos de 11 anos que vivem em Santiago. O primeiro, numa bela casa situada num bairro de classe média. O segundo, num humilde povoado ilegal instalado a poucos metros de distância da escola. Dois mundos separados por uma muralha invisível que alguns sonham em derrubar na intenção de construir uma sociedade mais justa, como o padre McEnroe (Ernesto Malbran), diretor de um colégio particular de elite onde Gonzalo estuda. Em meio à política comunista instalada por Salvador Allende no país, o diretor decide fazer uma integração entre estes dois universos, abrindo as portas do colégio para os filhos das famílias do povoado.

Maria Montessori

Gianluca Maria Tavarelli

Versátil Home Vídeo

Maria Montessori, a primeira médica italiana, dedica sua vida à educação de crianças excepcionais num hospital psiquiátrico em Roma. Após sua formatura, ela fica grávida de seu professor, com quem trabalha no hospital. Apesar de ajudar na educação de muitas crianças, Maria Montessori vive o drama de não poder educar o próprio filho. Além disso, a professora luta para que seu método de ensino seja aceito pelo arcaico sistema escolar italiano. Uma história emocionante de uma mulher à frente de seu tempo.

Mentes perigosas

John N. Smith

Abril Video

Ex-combatente (Pfeiffer) torna-se professora de uma turma de alunos-problema, drogados e marginais. Para ganhar a confiança da classe, tenta compreender a fundo os dramas de cada estudante.

Meu Amigo Nietzshe

Fáuston da Silva

Aquarela Produções Culturais

Um garoto encontra um livro de Nietzsche, e ao ler, começa a pensar diferente.

Nenhum a Menos

Zhang Yimou

Bejing New Picture Distribution Company e Columbia Pictures Corporation

As dificuldades encontradas por uma menina de 13 anos quando tem de substituir seu professor, que viaja para ajudar a mãe doente. Antes de partir, ele recomenda à garota que não deixe nenhum aluno abandonar a escola durante sua ausência. Quando um garoto desaparece da escola, a jovem professora descobre que ele deixou o vilarejo em direção à cidade em busca de emprego, para ajudar no sustento da família. Seguindo os conselhos de seu professor, ela vai atrás do aluno.

O Substituto

Tony Kaye

Califórnia Filmes

Henry Barthes é um professor brilhante com um verdadeiro talento para se conectar com seus alunos. Em outro mundo, ele seria um herói para sua comunidade. Mas, assombrado por um passado conturbado, ele escolhe ser professor substituto – nunca na mesma escola por mais que algumas semanas, nunca permanecendo tempo suficiente para formar qualquer relação com os alunos ou colegas. Uma profissão perfeita para alguém que busca se esconder ao ar livre. Quando uma nova missão o coloca numa decadente escola pública, o isolado mundo de Henry é exposto por três mulheres que mudam a sua visão sobre a vida: uma estudante, uma professora e uma adolescente fugitiva.

O triunfo – A história de Ron Clark

Randa Haines

TMT

Ron Clark (Matthew Perry) é um professor temporário, que experimenta um misto de nervosismo e ansiedade ao aguardar o momento de começar no emprego. Mas, antes mesmo de iniciar, demonstra uma rara sensibilidade ao saber se aproximar de um garoto que tinha sido colocado em um castigo humilhante por outro professor. Após 4 anos, os métodos de Clark se mostraram mais do que eficientes, pois classificou sua classe em 1º lugar do município.

Pro Dia Nascer Feliz

João Jardim

Flávio Tambellini Produções Cinematográficas; Fogo Azul Filmes; Globo Filmes;

Um diário de observação da vida de adolescentes no Brasil em escolas públicas e particulares de São Paulo, Rio de Janeiro e Pernambuco. O documentário flagra as angústias e inquietações dos alunos e como eles se relacionam no ambiente fundamental para sua formação.

Ser e Ter

Nicolas Philibert

Canal+; Centre National de Documentation Pédagogique; Centre National de la Cinématographie (CNC); Gimages 4

O documentário mostra a rotina de uma escola no interior da França em que crianças de várias idades dividem a mesma sala de aula, modelo educativo comum na região. Além de ressaltar a influência do educador na formação dos alunos, “Ser e Ter” abre a mente para as diversas possibilidades de educação.

Sociedade dos Poetas Mortos

Peter Weir

Walt Disney

O longa-metragem norte-americano conta a história de um professor de poesia que dribla os valores tradicionais e conservadores da escola onde trabalha e motiva seus alunos a contestarem e serem livres pensadores.

The Wall

Alan Parker

MGM

Com o roteiro escrito por Roger Water, ex-Pink Floyd, “The Wall” faz uma crítica ao ensino voltado somente para a acumulação de conteúdo, sem relacioná-lo com a rotina dos alunos, e também à opressão muitas vezes exercida por professores autoritários.

LIVROS

TÍTULO
AUTOR
EDITORA
DESCRIÇÃO

A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia

Maria Helena Souza Patto

Queiroz

Uma longa permanência em uma escola pública de primeiro grau desvenda os meandros da produção das dificuldades de escolarização que atingem grande parte das crianças brasileiras das classes populares. De um lado, uma escola, via de regra, precária como instituição de ensino; do outro, alunos vistos pelo filtro do preconceito racial e social de profundas raízes culturais; no meio, educadores desrespeitados pela política educacional e, em geral, informados por pseudo-conhecimentos científicos que inculpam os pobres pelo fracasso da escola. A escola não aceita a criança como ela é a criança não aceita a escola tal como ela funciona. Eis o desafio sobre o qual a autora estimula a pensar e com este livro.

Psicologia Escolar Práticas Críticas.

Organizador: Marisa E. M. Eira/Mitsuko A. M. Antunes Autor: Ana M.B.bock, Ana k. A. Checcia, Marilene P. R. Souza, Adriana M. Machado, Elenita R. Tanamachi, Veruska R. Galdini, Wanda M.J.Aguiar

Casa do Psicólogo

Os textos denunciam os compromissos ideológicos da psicologia escolar, e apontam novas possibilidades de intervenção que constituem em expressões concretas do pensamento crítico já construído em psicologia.

Reflexões Sobre Educação, Formação e Esfera Pública

Reflexões Sobre Educação, Formação e Esfera Pública

Penso

Nesta obra, José Sérgio Carvalho analisa, a partir de uma perspectiva filosófica, os vínculos entre a formação educacional e a vida pública. A ação educativa é concebida aqui como um ato de responsabilidade política, como um compromisso de preservação e renovação de uma herança cultural comum

O ano da Psicologia na Educação, textos geradores.

Conselho de Psicologia-São Paulo, (org)

Apresentação:
A psicologia está presente na educação de diversas formas, seja como disciplina ou como conteúdo de disciplinas, sendo inspiradora de propostas de formação humana, bem como área de aplicação.Há, portanto, saberes e práticas psicológicas que têm sido relevantes para a formação dos seres humanos mediante as suas necessidades que emergem nos diferentes espaços educacionais

INTERFACES ENTRE PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO: DESAFIOS PARA A FORMAÇÃO DO PSICÓLOGO

Organizador: Rinaldo Molina e Carla Biancha Angelucci.

Casa do Psicólogo

São inúmeras as interfaces entre Psicologia e Educação. Neste livro são compartilhadas: discussões sobre a proposta educacional presente no projeto político pedagógico de nosso curso de Psicologia; bases conceituais e processuais do serviço de acompanhamento a estudantes e professores de Psicologia;

Orientação à queixa escolar

BETRIZ DE PAULA SOUZA

Casa do Psicólogo

Queixas escolares são mais de dois terços da demanda infanto-juvenil aos psicólogos, em equipamentos públicos de saúde, clínicas-escola e outras clínicas psicológicas. A maioria das respostas dos psicólogos - e dos psicopedagogos - a esses pedidos de ajuda tende a individualizar e patologizar características da própria criança e de sua família, responsabilizando-as pelas dificuldades escolares. Este livro apresenta uma modalidade de atendimento psicológico que pretende preencher tais lacunas - a Orientação à Queixa Escolar, que vem sendo desenvolvida há mais de dez anos no Instituto de Psicologia da USP, com resultados estimulantes. Traz, ainda, diversas das reflexões e conhecimentos que têm constituído sua base.

Politicas Publicas Em Educacao - Uma Analise

CARLA BIANCHA ANGELUTTI(org), Viegas, Lygia.

Casa do Psicólogo

A partir da analise de algumas políticas publicas educacionais implementadas nas redes estadual e municipal de São Paulo, os autores buscaram uma chave para o entendimento das dificuldades de alunos e professores na construção da escola publica de qualidade.

Psicologia E Educacão: Desafios Teoricos-.

Organizador: ELENITA TANAMACHI, MARILENE PROENÇA E MARISA ROCHA Autor: ADRIANA MARCONDES MACHADO, ANA MERCÊS BAHIA BOCK, ELENITA DE RÍCIO TANAMACHI, MARILENE PROENÇA REBELLO DE SOUZA, MARISA EUGÊNIA MELILLO MEIRA, MARISA LOPES DA ROCHA, WANDA MARIA JUNQUEIRA AGUIAR

Casa do Psicólogo

Objetiva redimensionar a formação acadêmica dos profissionais de psicologia no que tange às ações sócio institucionais em educação, na tentativa de construir novas bases teórico práticas para a psicologia nas escolas.

INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA ESCOLAR

Maria Helena Souza Patto (org.)

Casa do Psicólogo

Dois objetos nortearam a organização deste livro: de um lado, abordar a preocupação com a qualidade do crescente número de psicólogos que passaram a trabalhar junto à rede de ensino público elementar; de outro, oferecer material didático aos professores (...)

Exercícios de Indignação - Escritos de Educação e Psicologia - Maria Helena Souza Pato

Maria Helena Souza Patto

CASA DO PSICOLOGO

'Exercícios de indignação' dá continuidade ao tema que perpassa todos os escritos da autora - o autoritarismo das elites, sua presença no discurso científico e suas repercussões na formação da subjetividade. O livro é uma coletânea de dezesseis artigos de Maria Helena Souza Patto escritos nos últimos anos, sobre diferentes temas ligados à educação. Os textos têm em comum a preocupação de denunciar os absurdos e as injustiças existentes na escola básica, expressar indignação, fazer a análise crítica e apoiar a causa de todos aqueles - alunos ou professores - que se vêem oprimidos e reprimidos por esse sistema. Mas, também, de manter a esperança, ainda que tênue, e trazer propostas, mesmo que exíguo o espaço social e político para sua execução. O livro traz os seguintes temas - Política Educacional; Formação do psicólogo; (Des)construindo a psicologia; entre outros.

Licenciatura em Psicologia. Temas Atuais.

SEKKEL, Maria Claire/ BARROS Carlos César/ et al

Zagodoni

Esta obra se apresenta num contexto bastante específico da educação nacional: as novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a graduação em Psicologia. Assim, a elaboração deste livro resulta no debate de pesquisadores e professores que trabalham e refletem sobre a educação brasileira, motivados por muitas interrogações práticas e teóricas, tais como: a Psicologia seria importante para a educação? A Universidade está comprometida com os saberes e a pesquisa ou com as demandas de mercado? Em que concepção de educação caberia a Psicologia? Devemos ensinar psicologia no Ensino Médio? Que psicologia ensinar?

Educação e Emancipação

ADORNO, Theodor

Paz e Terra

Theodor W. Adorno reafirma sua importância na discussão de temas em favor da cultura e contra a "falsa cultura". Contrariando a imagem de um pensador denso e de difícil acesso, Adorno reúne ensaios arrebatadores e atuais como o que significa elaborar Auschwitz e elaborar o passado, considerados verdadeiras aulas de dialética, além de textos como a filosofia e os professores e tabus acerca do magistério, televisão e formação, educação contra a barbárie, entre outros.

MÚSICAS

TÍTULO
INTÉRPRETE
ÁLBUM

http://www.vagalume.com.br/especiais/musica.html

Química

Legião Urbana

Que País é Esse? EMI. 1977/87

O Raggae

Legião Urbana

Legião Urbana- EMI-1984

Another Brick On The Wall

Pink Floyd

The Wall- Columbia 1979

Marvin

Titãs

Titãs. Produtora: WEA. 1984.

Rock 'n Roll High School

Ramones

Ramones Sire Records – 1979

Be True To Your School

The Beach Boys-

Little Deuce Coup -Capitol Records-1963

Geração Coca Cola

Legião Urbana.

Legião Urbana. EMI. 1984.

Estudo Errado

Gabriel O Pensador

Ainda é só o começo- SONY-BMG- 1994

É

Gonzaguinha

Gonzaguinha– Perfil. EMI/Som Livre. 2004.

Assaltaram A Gramática

Os Paralamas do Sucesso-

O passe de Lui- Emi- 1984

School's Out

Alice Cooper

Be True To Your School

The Beach Boys

Jeremy

Pearl Jam

POEMAS

TÍTULO
AUTOR

Os professores da minha escola

Clarice Pacheco

Há escolas que são gaiolas e há escolas que são asas.

Rubens Alves

“Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo; se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem."

Carlos Drummond de Andrade

20 poemas sobre a escola

Vários autores

SITES

TÍTULO
DESCRIÇÃO

ProInfância

Assessorar pedagogicamente os municípios que executam o ProInfância na estruturação e organização do funcionamento das unidades do ProInfância no estado da Bahia.

Editora Casa do psicólogo

Site da editora casa do psicólogo “prateleira Educação”

Faculdade de Educação da UFBA.

Faculdade de Educação da UFBA.

Observatório - CREPOP 03

Este é um espaço de publicação e troca de informações sobre o que acontece na interface entre psicologia e políticas públicas. Sendo um Blog institucional, nele você encontrará principalmente o material produzido pela rede CREPOP do Sistema Conselhos de Psicologia. Trata-se de textos e documentos referentes à prática profissional de psicologia nas políticas públicas.

Secretaria da Educação Bahia

Página virtual da Secretaria da Educação da Bahia, espaço com informes e contatos úteis.

MEC

Ministério da Educação

Grupo Interinstitucional Queixa Escolar

Somos um grupo de psicólogos e psicólogas, representantes de diversas instituições públicas, privadas e do terceiro setor, comprometidos com o avanço de teorias e práticas de atendimento psicológico que incorporem a investigação do processo de escolarização na compreensão da constituição de subjetividades

ABRAPEE

A ABRAPEE foi fundada em 1990 por um grupo de psicólogos interessados em congregar os estudiosos e profissionais da área, visando o reconhecimento legal da necessidade do psicólogo escolar nas instituições de ensino, bem como estimular e divulgar pesquisas nas áreas de psicologia escolar e educacional.

Fórum Sobre Medicalização da Educação e da Sociedade

Este Fórum tem por finalidade articular entidades, grupos e pessoas para o enfrentamento e superação do fenômeno da medicalização, bem como mobilizar a sociedade para a crítica à medicalização da aprendizagem e do comportamento.
O caráter do Fórum é político e de atuação permanente, constituindo-se a partir da qualidade da articulação de seus participantes e suas decisões serão tomadas, preferencialmente, por consenso.
É composto por entidades, movimentos e pessoas que tenham interesse no tema e afinidade com os objetivos do Fórum.
Nesta seção serão disponibilizados os mais recentes materiais sobre a Luta contra a Medicalização.

REVISTAS/PERIÓDICOS

TÍTULO
DESCRIÇÃO

Revista Entreideias

Revista entreideias: educação, cultura e sociedade. FACED UFBA

Diálogos

A Revista Diálogos é uma publicação da Universidade de Pernambuco, campus Garanhuns, FACETEG - Faculdade de Ciências, Educação e Tecnologia de Garanhuns.
Seu objetivo é a publicação e divulgação de artigos científicos relevantes em áreas ligadas ao espectro de cursos ministrados na FACETEG. Neste sentido, sua área dominante é a das Ciências Humanas (Letras, Linguística, Literatura, Comunicação, Semiótica, Pedagogia, Antropologia, Música, Artes Plásticas, Teatro, Cinema, Psicologia, História e Geografia), com abertura em secções específicas da revista para as áreas das Ciências Exatas (Matemática, Informática, Ciências da Informação) e Ciências Biomédicas (Ciências Biológicas).

Psicologia: Ciência e Profissão

A revista Psicologia: Ciência e Profissão é uma publicação trimestral dos Conselhos Federal e Regionais de Psicologia. Publica artigos originais referentes à atuação profissional do psicólogo, à pesquisa, ao ensino ou à reflexão crítica sobre a produção de conhecimento na área da Psicologia.
Sua missão principal é contribuir para a formação profissional do psicólogo brasileiro bem como socializar o conhecimento psicológico produzido por aqueles que pesquisam e/ou atuam no campo da Psicologia.

Psicologia & Sociedade

Psicologia & Sociedade é o periódico quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Social - ABRAPSO.
A revista publica artigos originais que destacam pesquisas e teorias sobre a interface entre psicologia e sociedade, com uma postura crítica, transformativa e interdisciplinar acerca da Psicologia Social.

Revista Digital Integração e Conhecimento

O NEPES foi criado através do Setor Educacional do Mercosul e da Coordenação Regional Coordenadora de Educação Superior, com o objetivo de estimular a produção e reflexão de conhecimento da Educação Superior vinculada à integração

Educação e Pesquisa

Educação e Pesquisa é uma revista trimestral da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, que aceita, para publicação, artigos inéditos na área educacional resultantes de pesquisa de caráter teórico ou empírico, bem como revisões da literatura de pesquisa educacional.

Revista Psicologia Educacional e Escolar

A revista é um veículo de divulgação e debate da produção científica na área de Psicologia Escolar e Educacional e está vinculada à Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE). http://abrapee.wordpress.com/revista/



GRUPOS DE PESQUISA

NOME
INSTITUIÇÃO
ESTADO
DESCRIÇÃO

CREPOP

CFP

O objetivo do Crepop é promover a qualificação da atuação profissional de psicólogos que atuam em políticas públicas por meio de pesquisas e da sistematização e divulgação de informações acerca da prática profissional da categoria nestas políticas.

Grupo de Pesquisa em Marxismo e Educação, (GPME)

UFRN

Natal

Constituído no ano de 1995, tem como proposta congregar pesquisadores, docentes e estudantes de graduação e pós-graduação em seus diversos níveis, em torno de uma identificação de ordem teórico-metodológica comum, com a teoria social marxiana. A opção teórico-metodológica também impõe tanto o tratamento de um amplo espectro temático nos projetos, envolvendo colaboradores e estudantes das mais diversas formações, quanto uma busca de sintonia com as questões sociais mais relevantes, expressa na produção científica do grupo.

EPIS – Educação, Política, Indivíduo e Sociedade: leituras a partir da Pedagogia, da Psicologia e da Filosofia

UFBA

Bahia

O ponto de partida da criação deste grupo é o desafio posto pelos problemas vivenciados na educação básica e superior, entre eles, a educacional.

O GEPPE (Grupo de Estudos e Pesquisa em Psicologia e Educação)

UFMS

Mato Grosso do Sul

Foi constituído em março de 1999 com a finalidade de desenvolver estudos e pesquisas na interface Psicologia e Educação. Sua meta é o fortalecimento da pesquisa, a formação de pesquisadores e a integração com atividades de ensino (graduação e pós-graduação) e extensão na Universidade.

Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação, Cultura Escolar e Cidadania

UNICAMP

São Paulo

Surgiu da necessidade de conferir visibilidade e legitimidade institucional aos trabalhos de pesquisadores, da área da Historia da Educação, que em suas pesquisas vêm priorizando as novas abordagens e perspectivas teóricas decorrentes da renovação historiográfica proposta a partir, sobretudo, dos anos 80, pela Nova História.

Grupo de Pesquisa FOCUS - Grupo de Pesquisas sobre Instituição Escolar e Organizações Familiares

UNICAMP

São Paulo

O FOCUS desenvolve, regularmente, um SEMINÁRIO e uma OFICINA de PROJETOS.

Grupo de Estudos Sobre Movimentos, Demandas Sociais na Educação e Cidadania

UNICAMP

São Paulo

Grupo de Estudos sobre Movimentos, Demandas Sociais na Educação e Cidadania - GEMDEC, da Fac. de Educação da UNICAMP completou, em 2012, 20 anos de existência.

Grupo de Pesquisa Psicologia e Educação Superior

UNICAMP

São Paulo

Os trabalhos desenvolvidos por este grupo voltam-se para o estudo e a investigação de processos presentes na educação superior a partir das contribuições da Psicologia. Os integrantes do grupo têm divulgado seus trabalhos através da participação em diversos eventos científicos bem como através de produção escrita.

Grupo de Pesquisa GPPE - Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas Públicas e Educação

UNICAMP

São Paulo

O GPPE desenvolve pesquisas sobre os processos de formulação e implementação de políticas públicas, focando o campo da educação a partir das relações entre Estado, Sociedade e Educação e as teorias políticas e ideologias que fundamentam a formulação dessas políticas públicas.

ABRAPSO- Grupos de Trabalho (GT) em Educação

ABRAPSO

Lista de Grupos de Trabalho na temática de Educação da Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO)

Autores